segunda-feira, 31 de agosto de 2015

BEDA dia 31: TAG das 33 perguntas

Rolou ha algum tempo essa TAG na blogosfera, porém vou respondê-la agora para finalizar o BEDA. Assim vcs saberao um pouco mais sobre mim.

1. Por que você costumava levar bronca quando criança?
Por tudo, sabe como é ser filha mais velha, né? Leva a culpa por tudo e tem que dar exemplo para os mais novos. Primogênitos sofrem mais pressao dos pais.

2. Qual foi a última vez em que você saiu sem rumo?
Nao me lembro, sou meio doida, mas ainda planejo bem pra onde eu vou.

3. Três objetivos para seu futuro…
  1. Falar e escrever francês muito bem, queria até fazer Letras (francês), mas so quando me aposentar porque agora estou com trauma de estudos.
  2. Viajar bastante
  3. Ter estabilidade profissional, financeira e pessoal.

4. O que você encontraria se abrisse a geladeira neste exato momento?
Leite, ovos, frutas, verduras, legumes, suco de aloe vera, maionese, margarina e catchup.

5. Qual tecnologia ocupa mais o seu tempo?
Internet

6. Uma coisa usada que você comprou…
Livros usados no sebo e uns casacos no brecho.

7. Qual a primeira coisa que você faz ao acordar?
Desligar o maldito instrumento de tortura chamado despertador.

8. Do que você precisa neste exato momento?
Férias... Desde que cheguei aqui, emendei estudo em tempo integral com trabalhos e estagios, nao tenho pausa, tenho medo de ter um burn out a qualquer hora, ja apresento todos os sintomas (constante desmotivação em relação ao trabalho, irritabilidade, raiva espontânea, choro frequente, frustração, sensaçao de ser incompetente, vontade de se isolar, sensação de fracasso, falta de auto-confiança, ansiedade, preocupação, insegurança, dificuldade de concentração, perda de memória, dificuldade para exercer o bom senso, incerteza e confusão).

Também queria um emprego na minha area.

9. Qual foi a última coisa que você leu, ouviu ou assistiu que te inspirou?
Tenho lido alguns livros de memorias e biografias que sao verdadeiras fontes de inspiraçao para mim, acho que o ultimo foi o livro da Amanda Palmer, eu tenho sérios problemas em pedir, em incomodar os outros e a primeira coisa que fiz foi pedir uma carta de recomendaçao para meus antigos empregadores tanto no Brasil quanto no Canada, todos foram muito solicitos e atenciosos e escreveram coisas tao legais sobre mim, me desejaram boa sorte na procura do emprego, me chamaram para almoçar, uma secretaria até pediu meu curriculo para enviar para uns conhecidos. Eu fiquei surpresa por ter pedido e mais surpresa ainda com o resultado obtido. Até restaurei um pouco a fé na humanidade

10. Um souvenir que você comprou ou ganhou…
Ganhei uma caixinha em formato de cabine telefônica de Londres, nunca compro souvenirs, mas agora vendo (ironia do destino).

11. O que te deixa estressada?
Nao poder tomar as rédeas da minha vida, planejo tanto, para nada...

12. Já morou em outro país além do Brasil?
Moro no Canada

13. Você tem tatuagem?
9 tattoos


14. Qual foi a última coisa que você pesquisou no Google?
Coisas de gente de humanas... Procurei a palavra:
Inukshuk (significa em pt: aquele que tem a capacidade de agir como um ser humano). É um empilhamento de pedras em formato humano, feito pelos Inuits. Serve para encurralar animais na hora da caça e também para demarcar o territorio.




15. Qual a sua maneira de ser egoísta?
Nao atender ao telefone, nem à campainha, colocar fones de ouvido para me separar do resto do mundo e jamais oferecer um pedaço do meu chocolate

16. O que demora demais?
O inverno canadense

17. A última vez em que você ficou acordada durante a noite toda…
Ha duas semanas, estava dormindo de dia e ficava acordada à noite lendo ou vendo séries.

18. Qual comida que todo mundo ama mas que você odeia?
Poutine, Nutella, paçoquinha, salsicha, bacon (exceto Kevin Bacon), mortadela.

19. O que você está vestindo agora? O que essa roupa diz sobre você?
Camisolinha de algodao. Quer dizer que estou na cama com preguiça de levantar.

20. Já fez amigos ou se apaixonou por alguém que você conheceu pela internet?
Ja fiz muitos amigos.

22. Qual foi a primeira coisa que você comprou com seu dinheiro?
Nao lembro, se nao foi guloseimas, foi bilhete de metrô.

23. O que tem na sua prateleira?
Livros

24. Como você se acalma depois de um dia estressante?
Lendo, vendo séries ou filmes, ouvindo musica

25. Escreva sobre algo que você quebrou…
Meu celular caiu no chao, quebrou o vidro, a tela ficou preta, tenho que mandar arrumar.

26. O que você mais gosta de comer no café da manhã?
Pao de queijo e café Pilao passado no coador de pano (nao quer dizer que é o que como, até porque é dificil achar pao de queijo por aqui e qdo acho é caro).

27. Como quer que sua vida de aposentada seja?
Quero estar nas excursoes da terceira idade, viajando para tudo que é lado. Pretendo fazer tudo o que nao pude fazer enquanto tive que trabalhar e estudar, vai ser minha unica chance de fazer o que der na telha e de viver plenamente, pena que ainda tem chao para chegar la. Vie de merde! Torcendo para ficar velha logo para ter paz e ser eu mesma, que mundo é esse!

28. O que você leva em consideração ao votar em um partido político?
Nao voto em partidos, voto em politicos competentes, eles existem...Meu partido é um coraçao partido.

29. A religião é um fator importante na sua vida? Por quê?
Nao mesmo, quero distância. Estou mais para testemunha de Darwin, mas fique tranquilo que nao vou bater na sua porta, nem te convencer sobre o que acredito ou deixo de acreditar. Parafraseando Saramago: "Aprendi a não tentar convencer ninguém. O trabalho de convencer é uma falta de respeito, é uma tentativa de colonização do outro".



30. Como está sua casa agora, limpa, suja?
Diria bagunçada, depois de responder a tag, vou lavar louça, dobrar e passar as roupas que sairam da maquina.

31. Você não economiza quando o assunto é…
Viagens, tatuagens, shows e comilança.

32. Você separa o lixo para reciclagem?
Sim

33. Sua sobremesa favorita?
Qualquer coisa que tenha chocolate, pode ser sorvete, bolo, cookies, bolacha recheada ou mesmo chocolate ao leite em barra.

domingo, 30 de agosto de 2015

BEDA dia 30: Jodida pero contenta


Jodida pero contenta 
Yo llevo dentro una esperanza 
Dolida pero despierta 
Pá mi futuro 
Con miedo pero con fuerza 
Que a partir de ahora 
y hasta que muera 
Mi mundo es mio 

Con tormento y sin dolores 
Yo voy haciendo camino 
Y que la brisa marinera 
Me oriente hacia mi destino


BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

sábado, 29 de agosto de 2015

BEDA dia 29: As listas de Nagiko

Nagiko é a protagonista de um filme que adoro, "The pillow book", ela era a louca das listas, assim como eu (veja aqui). Vou fazer a minha versao das listas dela.

Lista das coisas elegantes

  • Uma joaninha no jardim
  • As penas do pavao
  • O ar de superioridade do leao
  • O jardim de Versailles
  • As gôndolas de Veneza
  • O Museu de Arte Moderna de NY
  • Haikai
  • Audrey Hepburn
  • Dita von Teese
  • Tulipas
  • Um homem de terno e chapéu


Lista das coisas esplêndidas

  • Aurora boreal
  • Arco-iris
  • Estrelas
  • Planetas
  • A Muralha da China
  • A arquitetura russa
  • Machu Picchu
  • Internet
  • Um romance bem escrito
  • Musica
  • Cinema
  • Raios de sol na janela
  • Cataratas do Iguaçu
  • Chocolate derretendo na boca


Lista de coisas que fazem o coraçao bater mais forte

  • O primeiro beijo
  • Aulas de cardio e de zumba
  • Abraçar o filho
  • Receber um presente inesperado
  • Receber uma carta, um e-mail ou uma visita de pessoas especiais.
  • O primeiro e o ultimo episodio das minhas séries favoritas.
  • Chegar em um lugar que queria muito conhecer
  • Ver o garçom ou a mae chegando com a comida
  • Ouvir uma musica brasileira tocando no radio, no shopping, no restaurante (fora do Brasil)


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

BEDA DIA 28: #LeiaMulheres: Um utero é do tamanho de um punho


Vou fazer a louvaçao, do que deve ser louvado: Angélica Freitas. Nao tinha lido muita poesia para o projeto #LeiaMulheres e para compensar, li esse livro e fiquei encantada. Deixo-vos um tira-gosto:


uma canção popular (séc. XIX- XX):
uma mulher incomoda
é interditada
levada para o depósito
das mulheres que incomodam
loucas louquinhas
tantãs da cabeça
ataduras banhos frios
descargas elétricas
são porcas permanentes
mas como descobrem os maridos
enriquecidos subitamente
as porcas loucas trancafiadas
são muito convenientes
interna, enterra
____________________________________

mulher de rollers
no condomínio querem saber
se ela pirou de vez
ou se vai competir
nalguma espécie de jogos olímpicos
porque deu para andar de rollers
na área comum do prédio
prejudicando a saída
e a entrada de veículos
ainda por cima anda mal
nem ganhou velocidade
pirueta é coisa então
para a próxima encarnação
consternação entre condôminos
com seu senso do ridículo
“essa daí vai acabar
como na música do chico”
“vai passar nesta avenida
um samba popular?”
“não, atrapalhando o tráfego”

Essa poesia merece uma trilha sonora, "Roller girl", com a Anna Karina

__________________________________________


um útero é do tamanho de um punho
num útero cabem cadeiras
todos os médicos couberam num útero
o que não é pouco
uma pessoa já coube num útero
não cabe num punho
quero dizer, cabe
se a mão estiver aberta
o que não implica gênero
degeneração ou generosidade
ter alguém na palma da mão
conhecer como a palma da mão
conhecer os dois, um sobre a outra
quem pode dizer que conhece alguém
quem pode dizer que conhece a degeneração
quem pode dizer que conhece a generosidade
só alguém que sentiu tudo isso
no osso, o que é uma maneira de dizer
a não ser que esteja reumático
ou o osso esteja exposto
im itiri i di timinhi di im pinhi
quem pode dizer tenho um útero
(o médico) quem pode dizer que funciona (o médico)
i midici
o medo de que não funcione
para que serve um útero quando não se fazem filhos
úteros famosos:
o útero de frida kahlo
o útero de golda meir
o útero de maria quitéria
o útero de alejandra pizarnik
o útero de hilary clinton
[o útero de diadorim]
kahlo na sala de espera
meir dos óvulos de ouro
quitéria de modess na guerra
pizarnik decerto tampax
clinton não tem medo
de espéculos na maca fria
[mas diadorim nunca foi
ao ginecologista]
um útero expulsa os óvulos
óbvios
vermelho =
tudo bem!
isti tidi bim
vici ni isti grividi

um útero é do tamanho de um punho
num útero cabem capelas
cabem bancos hóstias crucifixos
cabem padres de pau murcho
cabem freiras de seios quietos
cabem as senhoras católicas
que não usam contraceptivos
cabem as senhoras católicas
militando diante das clínicas
às 6h na cidade do méxico
e cabem seus maridos
em casa dormindo
cabem cabem
sim cabem
e depois vão
comprar pão
repita comigo: eu tenho um útero
fica aqui
é do tamanho de um punho
nunca apanhou sol
um útero é do tamanho de um punho
não pode dar soco
...
querida amiga, dicas para conservar
melhor o seu útero:
a gente nunca sabe quando vai precisar
do nosso útero –
em repouso
é tão pequeno e precioso
por isso é bom mantê-lo
num lugar seguro
longe da luz
a uma temperatura
de 36 graus
se alguém insistir para vê-lo
diga: bem rapidinho
não faça barulho
__________________________________________

não devias te casar
com uma subversiva
que usa mauser
debaixo do poncho
e calcinhas
de algodão cru
em desacordo
com as meias
que vê um godard
e arrota coca-cola
que anota em
canto de página
de compêndios poéticos
das edições gallimard
“lindo!” ou
“how true!”
_____________________________________________

O twitter dela é poético também
















quinta-feira, 27 de agosto de 2015

BEDA dia 27 - Filme + livro: Fahrenheit 451


Fahrenheit 451 é um romance de ficçao cientifica distopica, escrito por Ray Bradbury e publicado em 1953, nos EUA. É mais profético que muito livro de profecia religiosa.
451ºF (232ºC) é a temperatura ideal para transformar um livro em cinzas. A brigada 451 dos bombeiros é encarregada de queimar livros, eles têm como missao entrar nos lares subversivos, dos amantes da literatura e destruir tudo.
Guy Montag é um desses bombeiros. Um dia ele encontra com sua vizinha adolescente, Clarisse, que sempre faz perguntas instigantes para ele, a ponto de ele refletir sobre seu trabalho, o porquê dos livros serem tao perigosos e a razao pela qual ele deveria queima-los todos.  
Caminharam ainda mais um pouco e a garota disse:
— É verdade que antigamente os bombeiros apagavam incêndios em lugar de começá-los?
— Não. As casas sempre foram à prova de fogo, pode acreditar no que eu digo.

Até entao ele fazia seu trabalho mecanicamente, sem jamais questionar.
"Não estou pensando. Apenas estou fazendo como me mandam, como sempre. Você disse “pegue o dinheiro” e eu peguei. Realmente não pensei nisso. Quando começo a fazer as coisas por mim mesmo"?

Sua esposa Mildred era viciada na programaçao da TV e em remédios narcotizantes. Eles quase nao conversam, parecem ter déficit de atençao e memoria curta, nao conseguem nem lembrar quando e onde se conheceram, nem sabem se amam um ao outro, sao conformados com aquela vidinha esquisita.

Beatty é comandante da brigada que conhece varios livros, mas com intuito de combatê-los, inclusive ele diz:
“O Diabo é capaz de citar as Escrituras para atingir seus fins”.
O comandante tinha todo um discurso para convencer as pessoas a nao lerem.

Bem, Montag, pode acreditar, no meu tempo eu tive de ler alguns, para saber do que se tratava, e lhe digo: os livros não dizem nada! Nada que se possa ensinar ou em que se possa acreditar. Quando é ficção, é sobre pessoas inexistentes, invenções da imaginação. Caso contrário, é pior: um professor chamando outro de idiota, um filósofo gritando mais alto que seu adversário. Todos eles correndo, apagando as estrelas e extinguindo o sol. Você fica perdido. 
Ela não queria saber como uma coisa era feita, mas por quê. Isso pode ser embaraçoso. Você pergunta o porquê de muitas coisas e, se insistir, acaba se tornando realmente muito infeliz.Se não quiser um homem politicamente infeliz, não lhe dê os dois lados de uma questão para resolver; dê-lhe apenas um. Melhor ainda, não lhe dê nenhum. Deixe que ele se esqueça de que há uma coisa como a guerra. Se o governo é ineficiente, despótico e ávido por impostos, melhor que ele seja tudo isso do que as pessoas se preocuparem com isso. 
Não as coloque em terreno movediço, como filosofia ou sociologia, com que comparar suas experiências. Aí reside a melancolia. Todo homem capaz de desmontar um telão de tevê e montá-lo novamente, e a maioria consegue, hoje em dia está mais feliz do que qualquer homem que tenta usar a régua de cálculo, medir e comparar o universo, que simplesmente não será medido ou comparado sem que o homem se sinta bestial e solitário. 
Não deixe a torrente de filosofia melancólica e desanimadora engolfar nosso mundo. Dependemos de você. Acho que você não percebe a importância que você tem, que nós temos, para que o nosso mundo continue feliz como ele é hoje.

Montag, de perseguidor passa a ser perseguido porque começou a ler. Conheceu Faber, um professor de inglês aposentado "que havia quarenta anos fora descartado para o mundo, quando a última faculdade de ciências humanas fora fechada por falta de alunos e patrocínio" e depois conheceu um grupo de pessoas, ex-professores ou leitores que decoravam os livros para nao esquecer e transmitia-os de forma oral aos outros.


Vamos à enxurrada de quotes proféticas:

Sobre a rapidez da informaçao no século 20.

Tudo se resume no Twitter e nos memes de internet
Imagine o quadro. O homem do século dezenove com seus cavalos, cachorros, carroças, câmera lenta. Depois, no século vinte, acelere sua câmera. Livros abreviados. Condensações. Resumos. Tabloides. Tudo subordinado às gags, ao final emocionante.— Clássicos reduzidos para se adaptarem a programas de rádio de quinze minutos, depois reduzidos novamente para uma coluna de livro de dois minutos de leitura, e, por fim, encerrando-se num dicionário, num verbete de dez a doze linhas. Estou exagerando, é claro. Os dicionários serviam apenas de referência.
Clique, Fotografe, Olhe, Observe, Filme, Aqui, Ali, Depressa, Passe, Suba, Desça, Entre, Saia, Por Quê, Como, Quem, O Quê, Onde,Hein? Ui! Bum! Tchan! Póin, Pim, Pam, Pum! Resumos de resumos, resumos de resumos de resumos. Política? Uma coluna, duas frases, uma manchete! Depois, no ar, tudo se dissolve! A mente humana entra em turbilhão sob as mãos dos editores, exploradores, locutores de rádio, tão depressa que a centrífuga joga fora todo pensamento desnecessário, desperdiçador de tempo!

Sobre a escolaridade

Faculdade de humanas esta indo pra esse nivel ai e ninguém se importa.
A escolaridade é abreviada, a disciplina relaxada, as filosofias, as histórias e as línguas são abolidas, gramática e ortografia pouco a pouco negligenciadas, e, por fim, quase totalmente ignoradas. A vida é imediata, o emprego é que conta, o prazer está por toda parte depois do trabalho. Por que aprender alguma coisa além de apertar botões, acionar interruptores, ajustar parafusos e porcas? 

Sobre eleiçoes

Desde quando era criança ouvia o papo de gente votar para presidente porque o cara era bonito. Lembro até hoje do Collor, que era um tipao esportista e ja com a Dilma foi o contrario, tinha gente que nao votaria nela porque ela era feia. Com tantos motivos para votar ou nao em uma pessoa, a beleza e a feiura que decide.
— Como todo mundo, eu votei na última eleição e assinei embaixo pelo presidente Noble, é claro. Acho que ele é um dos homens mais bonitos que já chegaram à Presidência.— Ah, mas também com o homem que a oposição lançou para disputar com ele!— Não era grande coisa, não é mesmo? Meio baixinho e feioso, não fazia direito a barba nem sabia se pentear muito bem.— O que deu na oposição para lançá-lo como candidato? Não se pode lançar um baixinho desses contra um homem alto.Além disso... ele resmungava. Metade do tempo eu não conseguia ouvir uma palavra do que ele dizia. E quando eu ouvia, não entendia!— E além disso era gordo, e nem disfarçava com as roupas. Não admira que a maioria esmagadora dos votos fosse para Winston Noble. Até os nomes ajudaram. Basta comparar Winston Noble com Hubert Hoag por uns dez segundos para adivinhar o resultado.

Sobre a televisao e as midias em geral

Tem gente que acredita piamente no que o Bonner diz
O televisor é “real”. É imediato, tem dimensão. Diz o que você deve pensar e o bombardeia com isso. Ele tem que ter razão. Ele parece ter muita razão. Ele o leva tão depressa às conclusões que sua cabeça não tem tempo para protestar: “Isso é bobagem!”.

Sociedade do espétaculo despreocupada com a leitura e com a realidade

“Os bombeiros raramente são necessários. O próprio público deixou de ler por decisão própria. Vocês, bombeiros, de vez em quando garantem um circo no qual multidões se juntam para ver a bela chama de prédios incendiados, mas, na verdade, é um espetáculo secundário, e dificilmente necessário para manter a ordem. São muito poucos os que ainda querem ser rebeldes”. 

Outros fragmentos

"Mais esporte para todos, espírito de grupo, diversão, e não se tem de pensar, não é? Organizar, tornar a organizar e superorganizar super-superesportes. Mais ilustrações nos livros. Mais figuras. A mente bebe cada vez menos. Impaciência. Rodovias cheias de multidões que vão pra cá, pra lá, a toda parte, a parte alguma. Os refugiados da gasolina. Cidades se tornam motéis, as populações em surtos nômades, de um lugar para o outro, acompanhando as fases da lua".
"Um livro é uma arma carregada na casa vizinha".
"Será porque estamos nos divertindo tanto em casa que nos esquecemos do mundo? Será porque somos tão ricos e o resto do mundo tão pobre e simplesmente não damos a mínima para sua pobreza? Tenho ouvido rumores; o mundo está passando fome, mas nós estamos bem alimentados. Será verdade que o mundo trabalha duro enquanto nós brincamos? Será por isso que somos tão odiados"? 

O filme


O filme homônimo britânico, de 1966, foi dirigido pelo francês François Truffaut e olha... Perfeito! Gostei bastante dos livros citados no filme que sao diferentes dos citados no livro, me deu vontade de lê-los todos. Truffaut mudou um pouco a historia da Clarisse, também o nome da esposa de Montag e o final do filme que é um pouco diferente do livro, acho que ele foi mais otimista que o escritor, por isso sempre digo, o filme nao substitui a leitura.

Os atores Oskar Werner e Julie Christie
A atuaçao da Bee Duffell foi curta, mas foi sensacional, aplaudiria de pé essa mulher no cinema.
Azamigue que se encontram para verem tv juntas, parece umas pessoas que se encontram, mas cada uma fica olhando para tela do celular. Acho uma falta de respeito tao grande.

Conversa com Ray Breadbury

Tem como nao amar esse escritor, apos essa entrevista? (em inglês)


Agora estou pensando qual livro eu decoraria para leva-lo na mente, se um dia fosse necessario...

O livro e o filme fazem parte do meu projeto "Literatura na sétima arte"  12/100

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

BEDA dia 26: Filme + Livro: A insustentavel leveza do ser


Terminei a leitura do livro "A insustentavel leveza do ser", do escritor tcheco, naturalizado francês, Milan Kundera, é meu primeiro contato com a obra dele.
Narra a historia do ponto de vista da burguesa tcheca, sobre a vida artistas e intelectuais na época da invasao do exército russo na entao Tchecoslovaquia (hoje sao dois paises: Republica Tcheca e Eslovaquia), época conhecida também como Primavera de Praga, em 1968.
A ideia de leveza e a dureza (ou fardo), vêm do poema intitulado "Sobre a Natureza e sua permanência", do filosofo grego Parmênides.

Foi a questão com que se debateu Parmênides, no século VI antes de Cristo. Para ele, o universo estava dividido em pares de contrários: luz-sombra; espesso-fino; quente-frio; ser-não ser. Considerava que um dos pólos da contradição era positivo (o claro, o quente, o fino, o ser) e o outro, negativo. Esta divisão em pólos positivos e negativos pode parecer de uma facilidade pueril. Exceto num caso: o que é positivo: o peso ou a leveza?
Parmênides respondia que o leve é positivo e o pesado, negativo. Tinha razão ou não? O problema é esse. Mas uma coisa é certa: a contradição pesado-leve é a mais misteriosa e ambígua de todas as contradições.
Portanto, o fardo mais pesado é também, ao mesmo tempo, a imagem do momento mais intenso de realização de uma vida. Quanto mais pesado for o fardo, mais próxima da terra se encontra a nossa vida e mais real e verdadeira é.
Em contrapartida, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, fá-lo voar, afastar-se da terra, do ser terrestre, torna-o semi-real e os seus movimentos tão livres quanto insignificantes. Que escolher, então? O peso ou a leveza?
Sabina representa a leveza, é uma pintora, nao é apegada a nada e a ninguém, prefere ser amante de homens casados a ter uma relacionamento sério, nao esconde o que é, dança conforme a musica, pensa no seu proprio bem estar e nao nos problemas politicos, sociais ou nas esposas de seus amantes, ela foge dos problemas. Se fosse hoje, ela teria varios followers nas redes sociais:

Para Sabina, viver na verdade, não mentir nem a si próprio nem aos outros, só é possível se não houver público nenhum. A partir do momento em que os nossos atos têm uma testemunha, quer queiramos quer não, adaptamo-nos aos olhos que nos observam; e, a partir de então, nada do que fazemos é verdadeiro. Ter um público, pensar num público, é viver na mentira. Sabina despreza aquele tipo de literatura em que o autor revela não só toda a sua intimidade, como também a dos amigos. Quem perde a sua intimidade, perde tudo, pensa Sabina. E quem renuncia voluntariamente a ela é um monstro. Por isso, Sabina não se importa de ter uma relação clandestina. Bem pelo contrário, para ela, é a única maneira de viver na verdade. 
Até aqui, os momentos de traição exaltavam-na e ficava sempre cheia de alegria só à idéia do novo caminho que se abria e da aventura sempre nova da traição que a esperava no fim da viagem. Mas que aconteceria se a viagem acabasse? Pais, maridos, amores, pátrias podem trair-se, mas o que resta para trair quando já não houver pais, nem marido, nem amor, nem pátria?

A pobre da Tereza é a representaçao da dureza mesmo, era servente em um bar quando conheceu o médico Tomas, casa com ele e é conivente com suas traiçoes. Tinha vida simples, mas nao era burra, o que chamou atençao de Tomas ao vê-la, foi o fato de ela estar com o livro de Tostoi, Ana Karenina e depois de aprender com ela a gostar de Beethoven. Torna-se fotografa durante a revoluçao e passa suas fotos para a imprensa internacional. So que ela é fragil, insegura e carente, tenta ser verdadeira e fiel na maior parte do tempo e quando comete um deslize, se ferra.
Tomas é o personagem que menos me cativou, era um mulherengo incuravel, nao resistia a um rabo de saia, ha longas e cansativas descriçoes sobre cada um dos seus casos no livro. So que as mulheres significavam o medo dele, ou seja, estar com uma mulher, era vencer seus proprios temores.
"Só lhe ficara o medo das mulheres. Desejava-as, mas elas atemorizavam-no".

Apesar da minha descriçao rasa e rapida sobre os personagens, o livro nao é so sobre casos amorosos, é muito além, é sobre politica, filosofia, sobre exilio, sobre escolhas e suas consequencias, sobre a condiçao humana em situaçoes adversas, a vida deles serao mudadas e nada sera como foi anteriormente. Mostra que nao existe situaçao preta ou branca, ha todas as nuances de cinzas no meio e o que esta no meio é mais comum do que o que esta nas extremidades, nao ha uma verdade absoluta, um certo ou um errado, o bonito e o feio, tudo isso depende de um ponto de vista, o fardo pesado pode vir a ser leve, e a leveza por virar um fardo.
"Não há forma nenhuma de se verificar qual das decisões é melhor porque não há comparação possível. Tudo se vive imediatamente pela primeira vez sem preparação. Como se um ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado. Mas o que vale a vida se o primeiro ensaio da vida já é a própria vida? É o que faz com que a vida pareça sempre um esquisso. Mas nem mesmo ''esquisso'' é a palavra certa, porque um esquisso é sempre o esboço de alguma coisa, a preparação de um quadro, enquanto o esquisso que a nossa vida é, não é esquisso de nada, é um esboço sem quadro".

Outros fragmentos do livro:

Sobre viver fora
"Quem vive no estrangeiro deixa de ter por debaixo de si a rede de segurança que é; para todo o ser humano, o país natal, o país onde se tem a família, os colegas, os amigos e onde é fácil fazermo-nos entender na língua que conhecemos desde crianças".

Sobre o excesso de informaçao e o abandono dos arquivos
"Numa sociedade rica, as pessoas não têm necessidade de trabalhar com as mãos e podem consagrar-se a uma atividade intelectual. Há cada vez mais universidades e cada vez mais estudantes. Estes, para obterem os seus canudos, primeiro têm que fazer uma tese sobre um dado tema. E não é difícil arranjar um tema, porque basta glosar o que já foi dito. E como tudo pode ser glosado, há um número infinito de temas. E assim, cada vez há mais e mais resmas de papel enegrecido amontoadas em arquivos ainda mais tristes do que cemitérios, porque ninguém lá entra, nem mesmo no dia de Todos os Santos. A cultura está a desaparecer numa infinidade de produtos, numa avalanche de letras, na demência da quantidade. Acredita em mim: um único livro proibido no teu antigo país tem um significado infinitamente maior do que os milhões de palavras escarrados pelas nossas universidades".

Gente que inventa uma classificaçao de livros bem peculiar:
"Marie-Claude prosseguiu: Foi no hospital que comecei a classificar os livros em duas categorias: os diurnos e os noturnos. E é mesmo verdade! Há livros para ler de dia, e outros que só se podem ler à noite".

Fragmentos diversos:
"A maior parte das vezes, para escapar ao sofrimento refugiamo-nos no futuro. Julgamos que a pista do tempo tem uma linha marcada para lá da qual o sofrimento presente há-de cessar".
"As idéias também podem salvar a vida".
"Es muss sein"? (tem de ser?)
"Antes de nos esquecerem, hão-de transformar-nos em kitsch. O kitsch é a estação de correspondência entre o ser e o esquecimento".
"Sempre admirei as pessoas que acreditam em Deus. Achava que tinham o dom estranho de uma percepção para-sensorial que a mim me é negada".

O filme



O filme homônimo, foi dirigido pelo americano Philip Kaufman, com belissimas atuaçoes de Daniel Day-Lewis (Tomas), Juliette Binoche (Tereza) e Lena Olin (Sabina). O filme tem quase 3h de duraçao, mesmo assim nao conta toda a historia do livro, é focado mais na historia da Tereza e do Tomas, alguns personagens importantes como o Simao por exemplo, nem é citado no filme e nao é mostrada a historia do Franz até o final, ele simplesmente desaparece. Um filme nunca substitui o livro, é apenas uma adaptaçao. Porém o filme é muito bom! Vale a pena assisti-lo. Assisti nos anos 90 e agora novamente para comparar com o livro e ele nao deixou de me surpreender.

Sabina e Tereza



O livro e o filme fazem parte do meu projeto "Literatura na sétima arte"  11/100

terça-feira, 25 de agosto de 2015

BEDA dia 25 - Arquivo X (o retorno)

Arquivo X (The X-Files) vai voltar em janeiro de 2016, é pra glorificar de pé, igreja!!!!! Meus dias de inverno serao preenchidos com a companhia dos agentes Scully e Mulder (sim, sao os mesmos atores dos anos 90, para nossa alegria).


Acho que essa série me influenciou inconscientemente a tornar-me arquivista. Trabalhar com arquivos secretos deve ser o maximo, mas deve ser perigoso também. Às vezes a ignorância é uma bençao, tem coisa que é melhor nem saber...


BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

BEDA dia 24 - Render-se ao grunge

Patti Smith, Caetano Veloso e Tori Amos renderam-se ao som do Nirvana. Quem se saiu melhor nessa?



Cobain fanfarrao...

BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

domingo, 23 de agosto de 2015

BEDA dia 23: Domingo no trampo

Se eu fosse sincera e verdadeira, como atenderia os clientes na lojinha hoje...


Trabalhar no domingo, o dia inteiro de pé é foda. Cuspi na cruz em vidas passadas pra merecer isso!

"Andava outra vez preocupada com as pernas. Dantes, quando era criada na província, ficava assustada quando via como as pernas das colegas estavam cobertas de varizes. Todas as moças que trabalhavam de pé, que passavam a vida a andar e a correr carregadas com pesos ficavam assim".

Vi isso no livro do Milan Kundera que estou lendo no momento. A Teresa trabalhava no bar em pé e via as varizes das colegas, coincidentemente vi as pernas da mulher que trabalha comigo na mesma situaçao, agora fiquei com medo de adquiri-las também, nao tenho mais vinte anos para nao ser imune aos estragos e às marcas que o tempo traz ao corpo. Às vezes me sinto como um maracuja murchando.
Pior é adquirir marcas fazendo o que nao gosta, nem estou falando de estética ou varizes mais, estou falando de passar o dia matutando qual é o sentido daquele trabalho, além de pagar parcialmente minhas contas. Eu e mais meia duzia de estrangeiros, todos com formaçao universitaria, vendendo souvenirs made in China para turistas. Eu penso nos chineses que fabricaram aquelas porcarias em condiçoes muitas vezes desumanas. Eu penso que necessidade aquelas porcarias têm para a humanidade? Tanta matéria prima e tanto esforço humano para suprir uma carência capitalista do turista.
Maldito proletariado de humanas que quer refletir sobre as condiçoes de trabalho! Como disse a a minha primeira chefe que tive na vida: "Você esta sendo paga para executar o serviço e nao para pensar". Logo no primeiro emprego eu ja queria questionar, queria entender como as coisas funcionavam, afinal eu nao era um robô, precisava entender o que eu estava fazendo. Santa ingenuidade... 
Por que nao escolhi a pilula azul da Matrix? A vida seria tao mais facil! Tem gente que aceita tao de boa as migalhas que recebe da vida...Eu poderia ser assim também.
Ha quem diga que eu deveria ser agradecida por ter esse emprego. Apenas quero beber da agua que vocês bebem para que eu possa acreditar nisso com o mesmo entusiasmo. Quem vem com esse discurso, geralmente é aquele que trabalha sentado, perto de um ar-condicionado e nunca aos domingos.

sábado, 22 de agosto de 2015

BEDA dia 22: Book Tag dos classicos

1. Um classico que todo mundo adora e você nao gostou nem um pouco
Lolita (falei dele aqui), eu me coloco no lugar da menina de 12 anos e nao consigo me sentir à vontade, acho o pedofilo Humbert Humbert repugnante e nojento, mesmo sabendo que é ficçao, mesmo sabendo que o Nabokov é um puta escritor. Eu nao sou obrigada sabe, nao quer dizer que o livro nao seja bom, quer dizer apenas que nao é o meu gosto pessoal.

2. Sua época preferida dos classicos
Século XIX.

3. Seu conto de fadas favorito
Nunca gostei de contos de fadas e de fabulas, nem quando era criança. Nunca me identifiquei com princesa e com principe encantado, nao me atrai homem bonito, rico, da realeza, prefiro os feios e pobres de humanas. Minha opiniao sobre fabulas é igual a do Lamartine:
"D’ailleurs, ces histoires d’animaux qui parlent, qui se font des leçons, qui se moquent les uns des autres, qui sont égoïstes, railleurs, avares, sans pitié, sans amitié, plus méchants que nous, me soulevaient le cœur. Les fables de La Fontaine sont plutôt la philosophie dure, froide et égoïste d’un vieillard, que la philosophie aimante, généreuse, naïve et bonne d’un enfant : c’est du fiel, ce n’est pas du lait pour les lèvres et pour les cœurs de cet âge.Ce livre me répugnait ; je ne savais pas pourquoi. Je l’ai su depuis : c’est qu’il n’est pas bon. Comment le livre serait-il bon ? l’homme ne l’était pas. On dirait qu’on lui a donné par dérision le nom du bon La Fontaine. La Fontaine était un philosophe de beaucoup d’esprit, mais un philosophe cynique. Que penser d’une nation qui commence l’éducation de ses enfants par les leçons d’un cynique ? Cet homme, qui ne connaissait pas son fils, qui vivait sans famille, qui écrivait des contes orduriers en cheveux blancs pour provoquer les sens de la jeunesse, qui mendiait dans des dédicaces adulatrices l’aumône des riches financiers du temps pour payer ses faiblesses..."

4. O classico que você morre de vergonha de ainda nao ter lido.
Guerra e Paz, do Tolstoi
Os Miseraveis, do Victor Hugo
Moby Dick, do Herman Melville

5. Top 5 dos classicos que você lera em breve.
Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf
Jane Eyre, da Charlotte Bronte
O sol é para todos, da Harper Lee
Anarquistas graças a Deus, da Zélia Gattai
Ensaio sobre a cegueira, do José Saramago

6. O livro/saga contemporanea baseada em um classico que você gosta.
A HQ "Gemma Bovery", baseada no romance "Madame Bovary", de Flaubert. Ainda nao li a HQ, so algumas sinopses e achei interessante, acho que vou gostar.



7. A sua adaptaçao preferida de um classico no cinema ou tv.
Gosto de todos os filmes baseados na obra da Jane Austen e das adaptaçoes shakespearianas do Keneth Branagh, mas o melhor de todos é o Dracula, dirigido pelo Francis Coppola.


Uma série que é muito amor, baseada nos livros de terror do séc. 19, é a Penny Dreadful, tem a turma vampiresca (Dracula, Mina, Van Helsing), lobisomem, Dorian Gray e seu quadro, Jack o estripador, Dr. Frankstein e seus monstros, gente louca, exorcismo, bruxa, demônios e todas aquelas historias da era vitoriana.



8. A pior adaptaçao cinematografica de um classico.
Nunca vi uma adaptaçao contemporânea do Shakespeare que prestasse, tipo o filme de Romeu e Julieta modernos em NY, ou a versao brasileira da familia corintiana contra a palmeirense aff...

9. Sua ediçao preferida dos classicos
Os da Penguin UK, vai la no instagram deles para ver que fofura as ediçoes.




Também acho lindas as capas dos livros da coleçao de literatura japonesa, da editora Estaçao Liberdade.

10. Um classico subestimado, que ninguem fala muito e que você recomendaria para todo mundo.
Os livros do Machado de Assis, do Graciliano Ramos e do Jorge Amado, eu sei que muita gente nao gosta porque foi obrigado a ler na escola, mas façam um esforço e releiam porque eles sao geniais. Vocês nao vao se arrepender.

Indico para responder a Tag:
A Adriana Balreira
A Lidia "Aluada"

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

BEDA dia 21 - Como a palma da minha mao

Nao sei de onde surgiu o termo: "conheço tal coisa como a palma da minha mao". Comecei a observar a palma da minha mao, cheia de linhas tortas, mais complexa que o mapa do metrô de NY, se fosse para eu desenha-la sem olha-la, eu nao seria capaz. 
Toda vez que alguém usa esse termo, que vem sempre acompanhado de uma certa arrogancia, prepotência e um ar de superioridade, tenho ainda mais certeza que a pessoa nao sabe de nada do que esta falando.

BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

BEDA DIA 20: Sobre o que deveriamos ter feito e nao fizemos


I know you have a little life in you yet.
I know you have a lot of strength left.

I should be crying, but I just can't let it show.
I should be hoping, but I can't stop thinking

Of all the things I should've said,
That I never said.
All the things we should've done,
That we never did.
All the things I should've given,
But I didn't.

Essa musica me faz chorar ha uns 15 anos mais ou menos. 
Nao sei se ja disse por aqui que eu amo a Kate Bush...So para deixar registrado.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

BEDA dia 19: Ultimas séries assistidas

Wayward Pines

Assisti os 10 episodios da série Wayward Pines, baseada na trilogia homonima, escrita por Blake Crouch. 
Ethan Burke é um agente especial do serviço secreto americano. Um dia, quando ele fazia um trajeto de carro com seu colega para investigar sobre o desaparecimento de dois outros agentes numa cidadezinha chamada Wayward Pines (Idaho), eles sofrem um acidente. Apos se recuperar do acidente no hospital de Wayward Pines, percebe que é impossivel sair dessa cidade murada e com cercas elétricas e nem de se comunicar com o mundo exterior.
O tempo nessa cidade é bizarro, eles nao sabem exatamente em qual ano eles estao. Nao se sabe se é uma experiência com humanos feita pelo serviço secreto ou se eles sao os unicos sobreviventes de um apocalipse.
Cada episodio é uma carga de emoçao, suspense e curiosidade. Que fim foi aquele? Foi produzida pelo M. Night Shyamalan (de O Sexto sentido, A vila)

Trailer em inglês



Younger

Younger
É uma série americana de comédia, sobre uma mulher que dedicou sua vida para cuidar do marido e da filha, abdicando de sua carreira profissional. Quando ela completa 40 anos, sua filha vai fazer intercâmbio na India, seu marido a troca por uma mais jovem, ela esta na rua da amargura, sem dinheiro e sem trabalho. Ela vai a varias entrevistas de emprego, mas é considerada "velha" para o mercado. Entao decide mentir sua idade, fala que tem 26, so para conseguir trabalhar. Na trama, ela tenta se adaptar a uma geraçao mais nova, usando roupas cool, aprendendo a usar girias jovens, hashtags e a twittar.
Clichezao: A chefona que preferiu a carreira à constituir familia é mostrada como uma infeliz, solitaria, rabugenta que so pensa em sucesso e em humilhar os funcionarios. Nao é bem por ai, tem gente muito bem resolvida sozinha e nem por isso precisou virar uma ditadora, no filme "Diabo veste Prada" a tia era casada, nao? E é baseado em fatos reais.
Conselho sério: nunca desista de trabalhar por nada e nem por ninguém, nem a XL Bundchen é imune à traiçao, imagine nos, pobres mortais! Se o marido sai de casa, morre, fica doente, fica complicado para uma mulher que nao trabalha. Veja o exemplo abaixo:

Via HONY



BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

BEDA dia 18: Vai, menina...

BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.


Vai menina
Veste o peito de coragem
Corra, não perca a viagem
Porque os anos logo vêm
Vai menina
Nessa vida é só você
Não espere por ninguém
Ninguém espera por você
Ninguém
Ninguém

Vai menina
Cresce agora, vai
Eu sei que dói

Vai menina
Guarde os sonhos com você
Guarde o amor e seus porquês
Porque no mundo tudo cai
Vai menina
Deixe o tempo amanhecer
Se desfaça de mais um
E finja ser feliz assim





segunda-feira, 17 de agosto de 2015

BEDA dia 17: videoclipes novos...

Entrei no Youtube e tinha atualizaçao da Lana del Rey e da FKA Twigs





A FKA simplesmente arrasou, a bicha é destruidora mesmo, fez cinco clipes num video so, canta, dança, atua, é muito criativa. Sem falar que amo o instagram dela...

Une photo publiée par FKA twigs (@fkatwigs) le

sábado, 15 de agosto de 2015

BEDA 15: Livro + Filme: O vendedor de passados


Li "O vendedor de passados", do escritor angolano, José Eduardo Agualusa. E a primeira vez que tenho contato com a escrita dele e fiquei bem contente em descobri-la. 
A historia é narrada por uma lagartixa (osga), chamada Eulalio que vive na casa de Félix Ventura, um negro albino, falso genealogista que tem por missao criar um passado ficticio e interessante para pessoas que hoje sao influentes na Angola, mas que vieram do nada, nao têm um passado decente.
Tanto o livro quanto o filme joga com a realidade, a fantasia, a verdade, a mentira, o sonho, é como as redes sociais, a aparência, o marketing pessoal, a gana de se promover conta mais que a vida real sem graça. 
Cai na pegadinha da musica da cantora brasileira Dora, a cigarra, achei que fosse verdade, foi tao convincente o que ele disse que fui caçar a mulher na internet e nao achei nada sobre ela e nem sobre a musica.
Escolheu um disco de vinil e colocou-o no prato do velho gira-discos. “Acalanto para um Rio”, de Dora, a Cigarra, cantora brasileira que, suponho, conheceu alguma notoriedade nos anos setenta. Suponho isto a julgar pela capa do disco. É o desenho de uma mulher em biquíni, negra, bonita, com umas largas asas de borboleta presas às costas. “Dora, a Cigarra – Acalanto para um Rio – O Grande Sucesso do Momento”. A voz dela arde no ar. Nas últimas semanas tem sido esta a banda sonora do crepúsculo. Sei a letra de cor. 
Nada passa, nada expira
O passado é
um rio que dorme
e a memória uma mentira
multiforme.
Dormem do rio as águas
e em meu regaço dormem os dias
dormem
dormem as mágoas
as agonias,
dormem.
Nada passa, nada expira
O passado é
um rio adormecido
parece morto, mal respira
acorda-o e saltará
num alarido. 

Fragmentos grifados:

(na minha primeira morte eu não morri)
Um dia, na minha anterior forma humana, decidi matar-me. Queria morrer completamente. Tinha esperança de que a vida eterna, o paraíso e o inferno, Deus e o Diabo, a reencarnação, tudo isso, fossem apenas superstições urdidas demoradamente, ao longo de séculos e séculos, pelo vasto terror dos homens. Comprei um revólver numa armaria, apenas a dois passos da minha casa, mas onde nunca tinha entrado antes, e cujo proprietário não me conhecia. Depois comprei um livro policial e uma garrafa de genebra. Fui para um hotel na praia, bebi a genebra com desgosto, em largos goles (o álcool sempre me repugnou), e estendi-me na cama a ler o livro. Achava que a genebra, somada ao tédio de um enredo ingênuo, me daria a coragem necessária para encostar o revólver à nuca e apertar o gatilho. O livro, porém, não era mau – e eu li-o até ao fim. Quando cheguei à última página começou a chover. Era como se chovesse noite.
Explico melhor: era como se do céu caíssem grossos fragmentos desse oceano escuro e sonolento no qual navegam as estrelas. Fiquei à espera de as ver cair, quebrando-se depois, com grande brilho e clamor, de encontro às vidraças. Não caíram. Apaguei o candeeiro. Encostei o revólver à nuca, e adormeci.
 
"A coragem não é contagiosa; o medo, sim". 
"Já reparou que tudo o que é inanimado descolora ao sol – mas o que é vivo ganha cor?" 
"Entre a vida e os livros, meu filho, escolhe os livros". 
"Chorei, aliás, lágrimas mais autênticas pela morte de alguns personagens literários do que pelo desaparecimento de muitos amigos e parentes". 
"Dê-me licença para citar Montaigne – nada parece verdadeiro que não possa parecer falso. Existem dezenas de profissões nas quais saber mentir é uma virtude.
Indique-me agora uma profissão, uma única, que não se socorra nunca da mentira, e na qual um homem que apenas diga a verdade seja efectivamente apreciado?"
 
"Existem pessoas que revelam, desde muito cedo, um enorme talento para a desventura. A infelicidade atinge-os como uma pedrada, dia sim, dia não, e eles recebem-na com um suspiro conformado". 
"Só somos felizes, verdadeiramente felizes, quando é para sempre, mas só as crianças habitam esse tempo no qual todas as coisas duram para sempre" 

O filme


O filme homônimo é dirigido pelo Lula Buarque de Hollanda e a historia é um pouco diferente, o genealogista nao é um albino angolano, é um jovem negro carioca, além de limpar o nome da pessoa e dar um passado digno, também da um passado criminoso para sua cliente, a pedido da mesma.
A personagem Clara do filme é a Ângela Lúcia do livro.


- spoiler- se vc quer ler o livro, pule essa parte
O livro é dividido por capitulos, alguns deles sao intitulados como "sonho" e enumerados de 1 a 6. Isso induz o leitor a pensar que trata-se realmente de sonhos, mas Félix escreve em seu diario:
"Vem-me à memória a imagem a preto e branco de Martin Luther King discursando à multidão: eu tive um sonho. Ele deveria ter dito antes: eu fiz um sonho. Há alguma diferença, pensando bem, entre ter um sonho ou fazer um sonho.Eu fiz um sonho".
Os sonhos eram uma invençao da cabeça dele, nada é o que parece ser. Para mim, ficou bem claro no filme essa jogada de imaginaçao x realidade, talvez porque li o livro antes e ja sabia que isso iria acontecer, mas vi que quem so assistiu ao filme ficou meio perdido e nao soube entender isso muito bem.
- fim do spoiler -

 A nota do filme no Filmow esta bem baixa e os comentarios sao bem negativos, porém eu gostei, nao é nenhuma obra prima do cinema, nao é melhor que o livro, mas é um filme bem feito.

Fazia tempo que nao via um filme brasileiro e nem lia um autor africano.

O livro e o filme fazem parte do projeto "Literatura na sétima arte" 

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

BEDA dia 14: Procura-se desesperadamente por Iribarren

Cadê os livros do Karmelo C. Iribarren nas livrarias ou nas bibliotecas? Cadê as traduçoes em português ou em francês? Minha alma tem sede de escritores boêmios desesperançosos. Preciso devorar todas as obras desse cara de uma vez, até morrer de overdose poética.



AL LÍMITE

Tienes veinte años,
tienes a la vida
por el cuello
a tu merced;
pero no es suficiente,
quieres más.

Conozco 
esa sensación.
te deseo mucha suerte,
la vas a necesitar.

MADRID, METRO, NOCHE

Gente
exhausta,
con la vista 
clavada
en el suelo,

preguntándose
por la vida,
la de verdad...

porque no puede ser
que sea
solo eso...

CONVIENE NO OLVIDARLO

No hay nada
gratis. Ni siquiera
lo que es gratis es gratis de verdad.
Siempre 
te lo descuentan
de algún sitio.

COMO TÚ

Mujeres como tú
son las que consiguen 
que se declaren 
las guerras
y que algún general
que otro
llegue incluso
a escuchar
el silbido
de las balas.



BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

BEDA dia 13 - Minhas listas de leituras, de filmes e de musicas

BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

Cinema


  • Quero assistir os filmes dos diretores Québécois, fiz uma lista no filmow e sera constantemente atualizada.
  • Também fiz a lista "Mulheres na direçao" que ja tem 1277 filmes cadastrados, assisti so 122 até o momento.
  • Quero ver os filmes da lista Philosophy and religion in film.
  • Eu tenho uma lista no Excel que nomeei como "Literatura na sétima arte", o proposito é ler 100 livros e assistir aos filmes que foram baseados nos mesmos. Ha filmes que assisti, mas ainda nao li o livro e vice-versa, mas também têm aqueles que nao li e nem assisti. Como sabemos, o cinema nao têm a pretensao de contar a trama da literatura tal e qual, ha sempre algumas modificaçoes, embora alguns diretores sejam fieis ao texto, a maioria usa a liberdade criativa para contar sua versao. A previsao é de termina-la em dois anos e depois fazer outra lista de mais 100. Peguei essa lista e fiz um grafico para saber quantos livros foram escritos por homens e quantos foram escritos por mulheres. Fiz o mesmo com os filmes, assim poderia aproveitar os filmes e livros das mulheres também para as listas "Leia Mulheres" e "Mulheres na direçao". Dos 100 livros, apenas 27 foram escritos por mulheres e dos 125 filmes apenas 14 foram dirigidos por mulheres. (Tem mais filmes que livros porque alguns desses livros tiveram mais de uma adaptaçao cinematografica).


Literatura




Musica



  • Criei uma lista de musicas francofonas que gosto no Spotify. Escuta em shuffle, é mais legal que ouvir em sequencia.
  • Tenho uma lista For women, musica de mulher para mulher, no Deezer.


É isso por hoje, até amanha!

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

BEDA dia 12: Flor de lotus

BEDA (blog post for every day in August), é um post para cada dia do mês de agosto.

Escuto Radiohead desde 1993...



Eu nao amo so o Radiohead, amo mais ainda o Thomas Edward Yorke, mais conhecido como Thom Yorke, nao é nada carnal, é algo profundo, transcendente, quase espiritual, ele entra na minha alma, me eleva a uma outra dimensao, eu sinto e compreendo o que ele quer transmitir, eu choro, eu danço, eu rio. É um baixinho ruivo, magrelo, com um olho caido, dentes tortos, cabelo desalinhado, dança desengonçadamente, criativo, sensivel, meio perturbado das idéias, vegan, luta por varias causas sociais, tem uma risada esquisita, british accent, é de uma banda dos anos 90 (melhor época), canta musicas para cortar os pulsos ou para perder a fé na humanidade como: Fake plastic trees, karma police, creep, house of cards, there there. Quem nunca ficou pensando: o que sera que aquele homem disse no final do clip Just

Eu tenho uma queda por imperfeiçoes perfeitas.

da vontade de abraçar....

Flor de lotus significa a perfeição, a sabedoria, a prosperidade, a energia, o renascimento, a sexualidade e a sensualidade.