terça-feira, 31 de maio de 2016

Conversa fiada

Uma coisa que me deixa muito sem jeito nesse Canada sao os elogios. As pessoas têm mania de elogiar umas às outras, nao sei se estao sendo sinceros ou é algo cultural de elogiar por elogiar so pra puxar papo. Ja falei disso  aqui no blog outras vezes. 
Esta semana duas pessoas disseram que eu era muito bonita. Primeiro foi um homem, às 7h da manha, eu ainda estava com a cara inchada de sono, indo para o trabalho, ele vira e fala alto pra todo mundo ouvir: Você é muito bonita! Eu, toda sem jeito: Merci, c'est gentil!
Por volta das 20h desta terça-feira, eu com a cara de acabada, de camisa xadrez e jeans, look caminhoneira, descabelada, esperando o farol abrir, chega uma mulher do meu lado e fala: T'es très très belle! Falou très 2x, me senti a Gisele Bundchen hahaha. Resumindo: Minha cara de sono ou de acabada é meu melhor ângulo. Ou deve ser um tipo de psicologia inversa, eles falam isso para eu me tocar que ta feia a coisa e se eu me arrumar e melhorar um cadinho. 
Eu nao sou boa em dar e nem receber elogios. Desde a infância o povo ja dizia que minha irma era mais bonita, ja estava acostumada com meu lugarzinho de ser a blasée sem sal da familia. Sempre fui cobrada e nunca elogiada, ao chegar nessa altura do campeonato e de repente receber elogios (verdadeiros ou falsos, nunca sei), apenas nao sei lidar. Faço de tudo para ser invisivel, vê se me erra, povo... 

Mudando de assunto:

Com a chegada do verao, aumentam as bicicletas nas ruas e consequentemente os acidentes. Presenciei um hoje, o carro bateu em um ciclista, so vi a bicicleta voando. É por isso que eu nao dirijo e nem ando de bicicleta.
O que me chamou atençao foi a eficiencia do 911. Em 2 minutos, chegaram a policia, os bombeiros e o resgate, parecia que estavam estacionados na esquina. Nunca vi nada tao rapido na minha vida. É tudo muito organizado. Ja estou ha 4 anos aqui e nao paro de me surpreender.




Diarios de Alejandra Pizarnik - Parte 2 - até a pag. 200

Esta leitura faz parte da readathon (maratona de leituras) sobre Saude Mental, no mês de maio.


Dois assuntos do livro que nao entrarao nesta publicaçao, pois terao posts exclusivos: disturbios alimentares e homo/bissexualidade feminina nos anos 50/60. É dificil de imaginar esses assuntos no tempo das nossas avos, nao consigo imagina-las, nem sequer minha mae, falando de prazer sexual, masturbaçao, relaçoes homossexuais, aborto, disturbios alimentares, mas isso nao quer dizer que nao existia, pois a Alejandra conta tudo como era.

Dando continuidade aos comentarios dos diarios da Lelê que começou aqui. Dessa vez vou conversar com ela, pois ela precisava muito de atençao.

Sério que vc parou de ler À la recherche du temps perdu? So faltavam 3 livros para terminar, espero que continue mais para frente. Pelo menos você continua impressionada com Proust, acha-o genial, disse que consegue ver a alma dele, é um artista puro, todos os outros sao nada perto dele. Você esta no quarto volume, "Sodoma e Gomorra", mas desistiu e quer retomar as obras de Cervantes. Te entendo, Lelê! Tb nao consigo ler uma série, um volume apos o outro, tenho que intercalar com outras leituras, tudo em excesso enjoa rapido. Ninguém merece ter overdose de Proust.

Vc adora tomar café no Café Florida, até procurei no Google Maps para ver se ele ainda existe, mas nao achei, talvez tenha mudado de nome, hoje a calle Florida parece a Rua 25 de março, de Sampa. Tenho até uma foto para te mostrar de quando visitei sua terra.

calle Florida

Adoro quando você compra ou ganha um livro, parece que é a unica coisa que te deixa empolgada nessa sua vida obscura.

Você odeia sol, ja tinha percebido isso quando li suas poesias, mas pelo menos gosta do mar.
¿Por qué no me ubico en un lugarcito tranquilo y me caso y tengo hijos y voy al cine, a una confitería, al teatro? ¿Por qué no acepto esta realidad? ¿Por qué sufro y me martirizo con los espectros de mi fantasía? ¿Por qué insisto en el llamado? ¿Por qué me analizo? ¿Por qué no me olvido de mi alma y no estrujo el pañuelito húmedo leyendo Cuerpos y almas? ¿Por qué no me visto con elegancia y paseo por Santa Fe del brazo de mi novio?
Entendo esse seu desejo de querer ser como todo mundo, ser "normal", de cumprir o destino reservado à mulher, mas quer saber? É tudo ilusao, bullshit, propaganda enganosa. Nao perca seu tempo com essas cobranças da sociedade. Sylvia Plath tentou casar e ser mae e nao mudou em nada sua condiçao, nao foi mais feliz, pelo contrario.

Excitada e sem ninguém pra te ajudar, se ao menos tivesse Tinder na sua época, né amigue?
Es muy tarde. Estoy excitada. Deseo un cuerpo junto al mío. ¡Cualquiera! Cualquier sexo, cualquier edad. ¡Eso es lo de menos! Basta un cuerpo a quien tocar y que me toque. ¡Mi sangre galopa! ¡Ah! Deseo fervientemente. Me disuelvo en deseos eróticos. Nada de amor. No. Nada de eso. ¡Sí! Lo que yo quisiera es vivir mi vida diurna entre libros y papeles y pasar las noches junto a un cuerpo. Ése es mi ideal. ¿Es lascivo? ¿Es lujurioso? ¿Es estúpido? ¿Es imposible? ¡¡¡Es mío!!! Y con eso basta. Pero ¿dónde conseguir ese ser? Tendría que ser alguien como yo, que desee lo mismo que yo. ¡No existe! ¡Sé que no existe! Mi locura es única. ¡Mi originalidad! ¡Mi extremismo! ¿Qué será de mí? ¡No lo sé! ¡Sólo sé que no puedo más! ¡Que me muero de impotencia!
Quando você falou de roupas masculinas x femininas, lembrei-me de Orlando que tb reclamava da roupa feminina e da falta de liberdade em andar nas ruas em paz. E se te conto um babado de uma extremista religiosa brasileira que se indignou com a loja de departamentos por vender roupas unissex? Existe gente mais louca que nos duas juntas, Lelê.
Quisiera ser hombre para tener muchos bolsillos. Hasta podría tener siempre un libro en un bolsillo. La ropa femenina es muy molesta. ¡Tan ceñida e incómoda! No hay libertad para moverse, para correr, para nada. El hombre más humilde camina y parece el rey del universo. La mujer más ataviada camina y semeja un objeto que se utiliza los domingos. Además hay leyes para la velocidad del paso. Si yo camino lentamente, mirando las esculturas de las viejas casas (cosa que aprendí a mirar) o el cielo o los rostros de los que pasan junto a mí, siento que atento contra algo. Me siguen, me hablan o me miran con asombro y reproche. Sí. La mujer tiene que caminar apurada indicando que su caminar tiene un fin. De lo contrario es una prostituta o una loca o una extravagante. Si ocurre algo, alguna aglomeración o un choque, y me acerco, compruebo que no hay una sola mujer. Hombres. Nada más que hombres.
Você parece confortavel nessas roupas pas du tout féminine

siento envidia del lector
aún no nacido
que leerá mis poemas
yo ya no estaré
Esta com inveja de mim agora? E se eu te disser que você esta aqui sim e estamos conversando, o que diria? Einstein disse que o tempo difere de lugar a lugar, o tempo nao existe. Relogio e calendario sao uma invençao humana de controle. Você escreveu isso em 1956, estou lendo em 2016, estamos separadas por 60 fucking anos, mas sinto como se você estivesse aqui do meu lado.

É engraçado quando você escreve inglês ou francês errado e o revisor coloca um (sic) depois da frase, também sou dessas... Ri quando você escreveu sex apple no lugar de sex appeal, seria uma licença poética? WTF is sexo-maçã? ahahaha. No francês você confunde libre e livre (livre e livro), nao sei se você quer ser livre ou quer ser livro...

Disturbios alimentares, Alê? Que saco, hein? Conversaremos sobre isso depois.

A senhorita vai pra praia e até la fica escrevendo poesia? Relaxa um pouco, mujer! Você é extremamente obsessiva e perfectionista com seu trabalho, trop workaholic, abdica tudo por ele.

A Alê é a 3a da esquerda pra direita
El mar quería sacarme el traje de baño para tocar mis pechos; yo no lo dejé pues aún no existe «confianza» entre nosotros. 
Todos los años el mar realiza un acto de alegría. La causa: la posesión de su amada Alfonsina Storni. 
Cuando miro el mar, el sol se siente celoso y me oprime los ojos.
Quer parar com a terapia? Como assim? Eu nao li isso, Alejandra. Seu quadro esta cada vez pior. Agora estou parecendo sua mae pegando no seu pé. Tu m’énerves, franchement!
Tengo miedo de fracasar por culpa de mi angustia.
Fe en ti sola, Alejandra. Fe en ti sola.
Imposible la plena comunicación humana. Los otros, siempre nos aceptan mutilados, jamás con la totalidad de nuestros vicios y virtudes. O nos detestan por algún aspecto nuestro que les mortifica o nos aceptan por algo que es ángel en nuestra carne. También solemos tener días en los que nos permiten comunicarnos y días en que nos amurallan. Estos últimos coinciden con los días en que más necesidad de contacto humano tenemos. Seguramente nos rechazan por ese aspecto de mendigos repelentes que proporcionan la angustia y la soledad.
"Mi vida se llama carencia".
Qué fácil callar, ser serena y objetiva con los seres que no me interesan verdaderamente, a cuyo amor o amistad no aspiro. Soy entonces calma, cautelosa, perfecta dueña de mí misma. Pero con los poquísimos seres que me interesan… Allí está la cuestión absurda: soy una convulsión, un grito, sangre aullando. De allí proviene mi imposibilidad absoluta para sustentar mi amistad con alguien mediante una comunicación profunda y armoniosa. Tanto me doy, me fatigo, me arrastro y me desgasto que no veo el instante de «liberarme» de esa prisión tan querida. Y si no llega mi propio cansancio, llega el del otro, hastiado ya de tanta exaltación y presunta genialidad, y se va en busca de alguien que sea como soy yo con la gente que no me interesa.
 He confundido literatura y vida. 
No puedo aceptar otra realidad que la del arte. Este mundo es horrible.
Voilà, ma chérie! Desde à infância sua vida era um asco. Ja tinha percebido em suas poesias que você fala dessa época de forma sombria.
 ¿he tenido yo una infancia? No, creo que no. No tengo un solo recuerdo de ella que me permita la más mínima nostalgia. No tengo ni un recuerdo bueno de mi niñez.
He pensado en la novela. No la comenzaré con mi infancia. El solo hecho de recordarla [me] cubre de cenizas la sangre. 
Frustraçao sexual: Suas fantasias sao de uma ninfomaniaca, mas na hora do "vamos ver" você é recatada, entao parece que o sexo nunca te satisfaz como você gostaria.
La realización sexual me parece posible en la soledad de mi cuarto, pero llegado el instante de concretarlo en la realidad, el deseo muere asfixiado y sólo queda una gran fatiga y un desolado e inoportuno dominio de mí misma.
Interessante você com 20 anos falando dos jovens de sua geraçao :
Nos llaman «la esperanza de la patria», nos dicen que tenemos «el futuro abierto y virgen» y que la vida, como un juguete fácil de manejar, «es nuestra». La tenemos, es cierto. Pero ¿qué hacer con ella? ¿Tenemos ideales? ¿Tenemos algo que nos sostenga? ¿Qué podemos hacer, si estamos solos, sin Dios, sin fe, sin nada? Nos hablan de la trágica situación general, de las dos guerras mundiales, rezagos del existencialismo francés nos congregan en los cafés para… ¿para qué? Ni siquiera somos «existencialistas legítimos». Ni ateos. Ni revolucionarios. [ilegible] entre los estudios, las religiones, las ideas, con una debilidad espantosa. Nada nos conmueve. Nada estalla en nuestro medio. ¿Los intelectuales? ¿Algún joven ha escrito un libro de poemas que haya tenido resonancia general? ¿Algún cuadro de un joven pintor pasmó al público? ¿Qué ocurre con nuestra sangre, con nuestra vehemencia? ¿Hemos de practicar esnobismo en la conocida esquina céntrica, entre la confusión del sexo y un equívoco deseo de olvidar la vida? Pues ¡sí! ¡Hagámoslo! Sangre vital, ebullición febril. ¡Sí! ¡Sí! ¿Dónde están los renovadores, los creadores, dónde está la juventud que juegue legítimamente con las únicas palabras valederas?

Quer tudo ao mesmo tempo? Também sou assim, o dificil é dar conta e encarar a frustraçao depois.
Cómo estudiar, y trabajar, y leer, y escribir. Y lo quiero todo al mismo tiempo. Y también embriagarme, y ver amigos y angustiarme...
No es esto todo: también quiero leer filosofía y ocultismo. También quiero pintar y aprender inglés y alemán, historia del arte e historia de las civilizaciones americanas. Y no pienso poco en la posibilidad de un viaje. En suma, frustración de frustraciones.
Indudablemente el mundo externo es una amenaza 

Você e suas proposiçoes:
Me he propuesto finalizar este año habiendo logrado tres cosas: un libro publicado; un empleo y haber rendido las materias de segundo año en la facultad. 

Continua...

domingo, 29 de maio de 2016

Balanço: Leituras, links, musica, Youtuber, etc

Leituras

Continuo lendo a Alejandra Pizarnik, tentei fazer um post da parte 2 que comecei aqui, mas nao deu certo, vou dividir os assuntos por temas e nao por n° de paginas.

Filmes

Faz tempo que nao publico nada de "Mulheres na Direçao", mas estou assistindo. Uma hora vai aparecer um monte de posts que vou deixar programado. Escrever sobre é mais dificil que assistir, obviamente.

Hip hop Girl

Apos 6 meses de Hip Hop Girl, restam apenas três posts programados para acabar com esse projeto aqui no blog. Claro que toda vez que surgir alguma novidade eu vou avisar nos balanços mensais ou quinzenais.

Novo vicio

Ja nao bastasse a penca de blogs no meu Feedly para ler, agora viciei em assinar newsletters das amigas. Tanta gente talentosa e ninguém da valor (retorno financeiro). É uma pena! Tem gente que merece viver de escrita.

Peso na consciência

Soube do episodio do estupro no Brasil e fiquei chocada, dei graças por estar no Canada. Epa, péra! A vida me coloca em situaçoes bizarras para me provar que nao existe segurança em lugar nenhum. Estava eu no ônibus, uma menina se levantou para descer, um babaca que estava na minha frente começou tirar foto da bunda dela. Ela estava de calça jeans e camiseta, roupa normal, mas era latina e tinha um corpo violao. Eu deveria ter gritado para o motorista, para menina, pois ela nem viu, mas emudeci. Para mim, calar é consentir. Essa cidade é pequena, a probabilidade de pegar ônibus com as mesmas pessoas é bem grande. Fiquei com medo de ele me perseguir e me ameaçar se me encontrasse de novo.
O que esses trouxas fazem com essas fotos? Coloca na Internet sem nosso consentimento? Ficam se masturbando com elas? Que nojo!
Isso ja aconteceu comigo na Bahia, estava na praia com umas pessoas, todo mundo foi para a agua e eu fiquei tomando sol de bruços na areia, sozinha, cuidando da bolsa dos outros. Quando abri os olhos, tinha um imbecil de um sorveteiro tirando fotos de mim. Levantei rapido e ele saiu andando mais rapido ainda. Emudeci e nao contei para ninguém, na época achei que a culpa era minha de estar na areia, eu deveria estar com as pessoas la no meio do oceano, mesmo nao sabendo nadar. Talvez tenha fotos minhas em algum site por ai.
Eu sei que aqui no Canada nao tem refresco e a justiça funciona, mas fiquei sem reaçao e tudo aconteceu muito rapido, nao tive tempo para refletir. Agora fiquei com peso na consciência porque fui a unica testemunha e nao fiz nada. So sei que ta foda. Eu chorei desesperadamente, parecia que tinha morrido alguém. Odeio ser fraca, inutil, imprestavel e medrosa, nao sei bancar de heroina, nao defendo nem a mim mesma, muito menos os outros. Sonhar com um planeta seguro para mulheres é a utopia das utopias.


Links

As mulheres que construíram sua própria cidade para viver em paz na Colômbia

Até tu, Johnny Depp? Mais um que caiu no meu conceito. Johnny Depp accused of domestic abuse, ordered to stay away from Amber Heard

O instagram mudou a forma de vender livros

A menor livraria de Boston. Que fofa!

Sobre imigraçao para o Canada: Eu aceito! (Ps: eu tb aceito, mas a gente abre mao de tudo)

Ja falei desse projeto #LeiaMulheres que tomou conta do Brasil. Indico o Instagram. So gente linda! Queria muito fazer parte. Se ao menos tivesse uma pessoa aqui no Canada que lesse para a gente discutir todo mês um livro em comum seria otimo, but... Contento-me com os grupos do Goodreads, é tudo virtual, mas é melhor que nada.

Musica
O que foi isso Na Billboard Music Awards, Ri-Ri? Ela sabe fazer ao vivo.


Coldplay com musica nova


Adele


Benjamin Clementine finalmente lançou o clipe de uma musica que adoro e ja postei aqui.



Florence sendo belieber ♥


Youtuber

Ana Roxo, a xara é otima! Melhor canal!


Consideraçoes finais

Com a chegada do verao nao sei se vou ficar tanto na Internet. "Sacumé", né? Além de trabalhar o dia inteiro, vai ter o Festival de Verao, serao 11 dias de shows. Vou aproveitar que tem sol, dias longos e escurece so depois das 21h. Depois volta a friaca.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Molière, c'est qui?

Um colega de trabalho, francofono, com formaçao universitaria, olha para mim e pergunta:
Molière era compositor de musica classica?
Eu respondi: Molière nao, Mozart.
Pensei que fosse pegadinha para me testar, mas era sério. Ele fala "a lingua de Molière" (é uma expressao até bem famosa) e nao sabe quem foi o sujeito. Inclusive tenho duas copias de Don Juan aqui, acho que vou dar uma pra ele.
Vou mandar fazer uma camiseta desse naipe: Who the fuck is Molière? 
Fica a dica: Na biblioteca digital da TV5 Monde tem 17 livros das peças de Molière (em francês) que podem ser baixados legalmente e gratuitamente, pois estao em dominio publico. De nada.

Aproveita e faça alguns dos mais de 50 cursos de literatura gratuitos e disponiveis on-line. De nada mais uma vez. Aqui é assim, da a vara, ensina a pescar, mastiga e coloca na boca so pra engolir. Porque so criticar sem mostrar a soluçao fica dificil, dando tudo mastigado nao tem erro.

Molière esta para o francês assim como Shakespeare esta para o inglês, Camoes para o português, Dante Alighieri para o italiano e Cervantes para o espanhol. É o basico que se deve saber, nao?

Acaba logo, mundo véio sem porteira!

domingo, 22 de maio de 2016

Diarios de Alejandra Pizarnik - Parte 1 - até a pag. 100

Como disse no post anterior, participei do readathon e um dos livros escolhidos foi "Diarios", de Alejandra Pizarnik, com mais de 700 pags, mas vou comentar até a pagina 100 por enquanto. Ja li a Poesia Completa também.
Nao sou o tipo que lê biografias, nem diarios, mesmo tendo lido algumas nos ultimos anos e nao me arrependi, pode ser que mude de ideia, porquoi pas? Do artista so quero a arte, nao me interessa saber da vida pessoal de ninguém, por isso nem facebook, snapchat e whatsapp eu tenho.
Estes diarios foram escritos entre 1954 a 1972, ou seja, entre os seus 18 e 36 anos.
♪ Alejandra, Alejandra
Ale, Alejandra
Ale, Alejandra... ♫
(Musica Alejandro, da Lady Gaga no feminino)

Ela tem dois olhares, um que olha pro nada, pro vazio e outro que encara e intimida. Costumo desviar o olhar de quem me intimida com os olhos, fico desconsertada, timida, deixo as coisas cairem, esbarro nos moveis. É o mesmo olhar estatalado da Pagu, da Patricia Highsmith, da Katherine Mansfield, da Clarice Lispector, da Carson McCullers, da Annemarie Schwarzenbach, da Sylvia Plath, nao sei se é um olhar "te-analiso-para-escrever-sobre-você-depois" ou é "estou-desesperada-por-favor-me-ajuda".

Aos 18 anos ela ja tinha lido livros interessantes que eu ainda nao li com o dobro da idade. Também ja estava em tratamento psiquiatrico, estudava francês na Aliança Francesa, cursava jornalismo, tentava ser escritora, fumava, bebia e amava como se nao houvesse amanha.

Embora nao me apeteça ler diarios, abro uma exceçao para as meninas judias. Qual é o segredo delas? Com pouca idade escrevem como gente grande. Alem da Alejandra, vide Anne Frank. Meus diarios nesta faixa etaria de 12-18 anos eram tao imbecis que dei fim em tudo antes dos 20 anos. Se brincar, o diario de Alejandra aos 6 anos de idade era mais interessante que os meus na faixa etaria citada acima.

Ja me sinto intima dela, comecei a chama-la de Lelê (sim, converso com o/a autor(a) enquanto leio). Afinal estou dormindo e acordando com ela, ou melhor, com seus diarios. Lelê é tao melancolica, solitaria, antissocial e perdida! Foi uma sofrência infinita esta vida dela. Suicidou-se aos 36, apos ficar internada por 5 meses em um hospital psiquiatrico.

Ela começou a ler À la recherche du temps perdu, de Proust. Gostou mais do primeiro volume do que do segundo e ja começou o terceiro.

Cita César Vallejo, Rimbaud, Baudelaire, Saphos, Cyril Connolly, Alfonsina Storni, Federico Garcia Lorca, Katherine Mansfield, Giacomo Leopardi, Martin Heidegger, Rilke, Clara Silva, Descartes. Também fala de Sartre e Beauvoir.

Acha que Bonjour tristesse, da Françoise Sagan é o tipo de livro para se ler na sala de espera do consultorio. Concordo! Essa historia de filhinha de papai solteiro rico passando férias na Côte d’Azur é meio chata, mas temos que considerar que mesmo assim foi um escândalo na época, pois uma jovem nos anos 50, com 17 anos, falando que nao quer casar, so quer fazer sexo, intrometendo-se nos relacionamentos do pai, parecia que tinha complexo de Elektra, foi meio babado, nao é?

Gosta de assistir espetaculos de dança (ballet), gosta de musica (sempre fala da Edith Piaf) e de cinema (Greta Garbo e Chaplin).

Usa sempre as duas expressoes: ¡Al diablo! e Merde!

Eita, Lelê! Encarando a ruiva no banheiro do restaurante e depois trocando olhares com ela na mesa, mesmo vocês duas estando acompanhadas por seus respectivos cavalheiros... Esse tipo de flerte é o mais peligroso de todos. Ainda mais você com esse olhar maligno intimidador.

Gosta de 3 pessoas ao mesmo tempo: Él, L. e D. Él esta viajando ha tempos, parece que nao tem previsao de retorno, L. parece que gosta dela, mas a reciproca nao é verdadeira, sao apenas friends with benefits. D. é uma mulher, um amor nao correspondido que parece ignora-la o tempo inteiro. No fundo ela quer amar sem se envolver, nao quer casar, muito menos ter filhos, quer escrever apenas.
Entonces no sólo erré la elección sino que no me realizaré por el camino más natural y sencillo de toda mujer: ¡los hijos! ¡Entonces sería más que frustrada! ¡Sería un ser arrojado para estorbar los pasos productivos de los demás! ¡Ocuparía un espacio inmerecido! Mi vida habría sido en vano. ¡Toda la voluptuosidad que exhalo y desato en mis sucesivos compañeros y luego enaltezco en los escritos habrá sido sólo farsa!

Fragmentos

Depressao
Ahora no tengo fuerzas ni ganas de leer, fumar o escuchar música. Y eso me desespera. Es como si hubiese perdido la facultad de gozar. Nada me conmueve. Mis párpados se cierran. ¡Dormir!
Hay cicatrices que se rebelan para volver a su condición primera: heridas.
Hay lugares que excitan terriblemente la angustia. Lugares y seres. 

Questiona a sociedade moralista e Deus:
¡De la moral! Moral que ellos establecen a su criterio y sin derecho. Y nosotros somos los expulsados, los rechazados, ¡los sifilíticos espirituales! Como si de nuestro rostro resbalaran materias putrefactas. Como si no nos mereciéramos ese cielo candoroso que nos cubre, detrás del cual está Dios, manantial de toda estrechez y mezquindad imaginarias.
¡Dios!, que en caso de ser se limita a su empleo de cubretapas del Código Civil y Penal. No me importa verificar algo tan vulgar como la existencia de Dios, pues me basta con sentir mi ser. No me importa el Código Civil sino en la medida en que ensució mi alma cuando realizó ese viaje por ella durante mis primeros años. ¡Quiero borrar sus inmundas manchas! ¡Dejar a mi ave lustrosa! (Como un aviso de propaganda de la belleza infinita.)
Faz planos:
Planes para cuarenta días:
  1) Comenzar la novela.
  2) Terminar los libros de Proust.
  3) Leer a Heidegger.
  4) No beber.
  5) Nada de actos violentos.
  6) Estudiar gramática y francés.
Gosta de solidao, sente-se mal à l'aise socialmente:
La miopía exalta la individualidad. Verme a mí perfectamente y a los otros como pobres seres borrosos. 
Tomo consciencia de algunos aspectos de mi ser: no me gustan las diversiones. O quizás no me gusta lo que el común de la gente llama diversión. Soy un ser triste vestido por error de euforia. Soy un ser amargado que goza ante cualquier nimiedad que haga olvidar la amargura. A no ser por mi disfraz (que espero quemar pronto), tengo todo lo estrictamente necesario para desagradar a la mayoría de los hombres y mujeres.
Llega el momento de decir algo. Y para «decir algo» tengo que «saber algo». Y yo no sé nada. ¡Tengo que estudiar! ¡Quiero estudiar! ¡Pero temo estudiar en la facultad! Me gusta estudiar sola, sin método, sin programa… 
Sólo disfruto de veras en mi propia compañía. Cuando estoy sola, el detalle de la vida, la vida de la vida, es algo realmente maravilloso. 

Tem vontade de fazer sexo, mas nao tem parceiro, acha que deveria existir bordéis para mulheres artistas:
Pero también hay algo que se rebela ¡y con causa! Es mi sexo. Acepto encantada las horas del día llenas de libros y de belleza, pero ¡las noches! ¡Las frías noches de invierno! Noches en que oprimo desesperada la almohada suspirando por transformarla en un rostro humano. ¡Y mi cuerpo que ningún brazo oprime! ¡Y mis labios besando el vacío! ¿Cómo otorgar lo que anhela, a mi cuerpo febril? No quiero amantes (pues desordenarían las horas de estudio). ¡Al diablo! ¡Tendrían que crearse burdeles especiales para mujeres-artistas! Pero no los hay… ¡y es tan trágica la visión de una mujer madura sorbiéndose el cuerpo en la aridez de la noche! Y eso es lo que me espera. Esa imagen destruye todas las embriagueces sagradas.

Continua o quebra-cabeças da enigmatica Lelê...

Ahora tengo ganas de volver a hablar espanol y de volver a Buenos Aires.

sábado, 21 de maio de 2016

Balanço: politica, cinema, leituras e musicas

Tempos dificeis no Brasil...

  • Fim do Ministério da Cultura
  • Fim do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos
  • Golpe de Estado
  • Terceira vez que o PMDB entra na presidência sem ser eleito
  • Advogado do PCC, o maior crime organizado de SP, é ministro da Justiça
  • Um ruralista do DEM no ministério da Educaçao
  • Bancada evangélica tirando proveito da situaçao

Se ja era duro para o povo de humanas antes, imagine agora. Ha quem pensa que todo artista ganha bem como os globais. O teatro nao é feito so de atores, o staff é bem maior, tem produtor, diretor, figurinista, dramaturgo, costureiras, pessoal da bilheteria, da administraçao, etc. O mesmo serve para opera, para dança, para os museus, bibliotecas...
Uma orquestra nao tem so musicos, o cinema nao é apenas o produto final que se vê na tela. Ha gente que trabalha incansavelmente à noite e fins de semana, ou seja, na hora que os outros se divertem. Eles sao vagabundos? Que pais é esse que faz com que o povo odeie os artistas?
O dinheiro que o estado investe em cultura e educaçao é infimo perto do que gasta com aquela cambada de politicos que nao serve para nada. A cultura nao é o inimigo, muito menos o problema de uma naçao.
Quando vi a imagem daqueles deputados e daqueles senadores, tive ânsia de vômito.
Agora o problema da crise é porque as pessoas nao trabalham o suficiente, como se houvesse trabalho ou como se nao tivesse gente trabalhando 10 horas por dia com um salario de merda, agora a culpa é do povo. Na era Dilma, a crise era culpa da Dilma, claro! Desde o mito de Adao e Eva, Eva era a culpada, agora com um homem na presidência acabou crise, acabou corrupçao, né? SQN
Quanto ao fim do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, nao tenho nem o que dizer, é o que se espera de uma sociedade machista-intolerante-cristã que nao aceita a diversidade. Se você nao encaixa neste perfil, foda-se você, seus direitos de cidadao, mesmo sendo pagador de impostos e trabalhador como todo mundo, vao para agua abaixo. É muito dever para poucos direitos.

Mas vamos mudar de assunto para nao pirar. Como ja me disseram mais de uma vez: "Você mora no Canada, nao tem que ficar dando pitacos sobre o Brasil". Como se eu nao tivesse vivido mais de 35 anos la, nao é? Nao é porque estou fora que deixei de ser brasileira.

Leituras



Maio é o mês da conscientizaçao sobre a Saude Mental, 1 em 4 pessoas sofre de algum tipo de transtorno, é o momento de se informar sobre o assunto. Nao leio porque sou inteligente, ao contrario, leio porque preciso saber das coisas, porque nao sei de nada. 
A booktuber do canal Bookish Realm criou a readathon (maratona de leituras), de 16 a 22 de maio, sobre livros que tratam deste assunto. Parei tudo que estava lendo para participar, pois é um tema que muito me interessa.
Coloquei no Insta os livros que escolhi para ler. Ja estou no ultimo, o da Pizarnik que tem mais de 700 pags. Pode ser que eu faça um post sobre esses livros mais para frente.

@bookishrealm will be hosting a readathon for Mental Health Awareness Month (May 16th - May 22nd). I picked up these books: 1. Read a book with green on the cover. "O alienista" - Machado de Assis 2. Read a book with a main character that has a mental illness/has mental health problems. "The bell Jar" - Sylvia Plath 3. Read a non-fiction book about mental health. "Depois a louca sou eu" - Tati Bernardi 4. Read a book by an author with a mental illness or mental health problems. "Diarios" - Alejandra Pizarnik 5. Read a book about a mental health issue/problem that you want to know more about (I.E. Treatment, therapy, medication, different disorders, etc.) "Borderline" - Marie-Sissi Labrèche #mentalhealthawarnessmonth #mentalhealth #mentalhealthmatters #mentalhealthawareness #bookchallenge #readathon #sundayshelfie #bookaddict #bookstagram #mentalhealthreadathon #maymentalhealth #bookcollector #bookhaul #booknerd
Une photo publiée par Ana O. (@anaspbr) le


Além dos livros da readathon também li:
  • The Fall of the House of Usher, do Edgar Allan Poe
  • Milk and Honey, da Rupi Kaur (poesia)

Cinema

Brasil esta no Festival de Cannes, o documentario sobre o Cinema Novo ja foi premiado, agora é torcer pelo filme Aquarius.
Os Québécos também estao la, meu queridinho Xavier Dolan ganhou o premio do juri. O diretor Kim Nguyen esta com o filme Two Lovers and a Bear, a Tatiana Maslany (as clones do Orphan Black) atua nele. E por fim, o curta-metragem Oh What a Wonderful Feeling, de François Jaros.
Estou torcendo para todos eles.

Musica

A Pink na trilha sonora do filme Alice através do espelho ♥♥♥


Red Hot Chili Peppers lançou uma musica do novo album. Eles estarao no Festival d'été aqui, nem preciso dizer que vou, né? Amo desde os anos 90.


Saiu o clipe da Alicia Keys, tinha postado o audio no balanço anterior. Adorei o video em P&B, os dançarinos contorcionistas, a diversidade, o sonzinho que lembra um pouco a Sade, da vontade de sair dançando por ai.


A Céline Dion, rainha dos québéco tudo, lançou o single "The Show Must Go On" (o show deve continuar). Ela acabou de perder o irmao e o marido que estavam com câncer. Agora é juntar os pedaços e continuar vivendo. Força, Céline!


Para tudo!!!!!! Uns posts atras eu disse que estava demorando para a Keny Arkana lançar um CD novo. Ontem ela posta esta bomba no Youtube, anunciando que dia 27 vai ter lançamento do CD "État d'urgence". Ai, meu coraçao! Tô pensando em fazer uma live no dia, um "reacting to Keny Arkana's videoclip", tem muito tiro, porrada e bomba. 
Mulé, casa comigo, sua louca! Nunca te pedi nada...


quarta-feira, 18 de maio de 2016

terça-feira, 10 de maio de 2016

Balanço de leituras, séries, links, Instagram e musicas

Lidos
  • As portas da percepçao, de Aldous Huxley
  • Watchmen, de Alan Moore e David Gibbons (HQ)
  • Goodbye Bukowski, de Flavio Montelli (HQ)
  • Woody Allen in Comics, de Stuart E. Hample (HQ)
  • Poesia completa, de Alejandra Pizarnik
  • Sin decir nada, de Takuboku Ishikawa
  • The Argonauts, de Maggie Nelson
  • J'accuse, de Emile Zola


Séries
Terminei de assistir a 2a temporada de Mozart in the Jungle, a 2a temporada de Younger e a 1a temporada da série québécoise Ruptures.

Links

Tumblr: Mulheres sem cabeça nos posters de filmes
Quer fugir do Brasil, bonito(a)? Dica para o exilio contemporâneo, por Nina Lemos

Foto

GRL PWR!!!! A mulher que enfrentou um grupo de neonazistas na Suécia. (Fonte)

Instagram

O perfil @the_canvasprojet coloca as pinturas nos espaços publicos.

 O perfil cômico da @celestebarber que tenta imitar as fotos de celebridades


Musica

O Vevo bombou, todo mundo resolveu lançar suas musicas ao mesmo tempo

Justin Timberlake com o hit de verao


Alicia Keys em dose dupla, divando sem maquilagem, pq nao precisa.



Sandy e Tiago Iorc


JLo feminista
Eu nao sou sua  mae para cozinhar o dia inteiro, lavar suas roupas, enquanto vc fica jogando video-game.
Rihanna

Sendo sexy




Sendo justiceira


Radiohead
Amo pouco, né? Deve ser a banda que mais apareceu nesse blog, ja fiz até declaraçao de amor para o Thom. E eles lançaram nao um, mas dois videoclips.



Vao com calma, pessoal! Assim meu coraçao nao aguenta

segunda-feira, 9 de maio de 2016

9 de maio: Orgasm Day



AHAHAHAHAHA , em plena segunda-feira é dificil, ainda mais apos o dia das maezZzzzz que é um dia broxante pacarai, pois todos pensam que mae é santa e recatada....

domingo, 8 de maio de 2016

Dia das maezzzzzzzzzzzz....

Sujeitos assim tb sao paridos na vida real...

O dia das maes seria um otimo dia para desmistificar a maternidade, né? 

Neste dia ninguém fala da mae do criminoso, do detento, dos que nasceram com problemas fisicos e mentais, do alcoolatra, do toxicomaniaco, do psicopata, do homossexual, da prostituta, da atriz pornô.

E a mae solteira? Coitada! Ela que se lasque sozinha...

E a mae que nao queria ser mae, mas nao teve opçao e agora tem que levar uma cruz para vida?

E os filhos que têm duas maes?

So é mae de valor quem pariu um varao branco, conservador, heterossexual, classe média ou alta e cristao. Para senhora sortuda, feliz dia das maes! És o orgulho da sociedade.
Se você pariu uma menina boazinha que nao reclama, estudou o que a senhora quis que ela estudasse e casou com um homem que a senhora quis que ela casasse, a senhora é sortuda também.

Ja pensou nas maes que pariram meninas feministas, que falam de politica no boteco e acham que podem ser livre da imposiçao social vigente? Vixe...



As maes que nao tiveram "sorte", permaneçam nas sombras porque a sociedade te odeia e odeia seu/sua filho(a)... E ninguém nem fala disso neste dia, levem cada uma a sua cruz.

E marmanjo que pensa que mae é sinonimo de empregada? Reclama da comida, mas nao tem coragem de ir la fazer uma melhor... Nao presta nem para lavar as proprias cuecas/calcinhas. Se vc tem mais de 15 anos, sua mae nao é obrigada a nada, se vira!

Você ja viu a solidao nos rostos das maes que estao na fila para visitar os filhos na cadeia ou no hospital psiquiatrico?

Ha maes que padecem no paraiso e ha outras que padecem desprezadas e humilhadas no inferno mesmo, muitas pagam o alto preço de amar incondicionalmente seus filhos assim como eles sao, mesmo que eles sejam considerados a "escoria" da sociedade. Nao existe dia para a Mae Coragem, aquela mae que o coraçao sangra toda a vez que chamam o filho dela de viadinho, de bandido, de doidinho, de aleijado, mas ela esta ali sozinha, sendo a unica ponte entre a sociedade e seu filho.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Leitura: The Argonauts, de Maggie Nelson


Este livro foi o escolhido do mês de maio para o grupo Our Shared Shelf, comprei o e-book na Kobo Store por $11,00 dolares. O bom de participar de grupos, é que eu saio da minha zona de conforto e leio coisas que nunca descobriria sozinha. Infelizmente a maioria dos livros deste grupo nao tem traduçao para o português nem para o francês, como ja mencionei em posts anteriores, se ja é dificil para uma mulher publicar, ser traduzida é mais dificil ainda. Cabe a nos estudarmos outros idiomas para nao ficarmos de fora de toda riqueza literaria. Ultimamente ando lendo as obras no idioma original porque além de ser interessante, evita uma traduçao mal feita.

"The Argonauts" (Os Argonautas), é um livro de memorias nao-convencional, escrito de maneira nao-convencional. A autora narra em forma de pequenas anotaçoes, como se estivesse escrevendo em um blog ou diario. Porém, essas anotaçoes sao feitas com muitos questionamentos e posicionamentos. Parece uma leitura facil, mas nao é, tive que parar algumas vezes para refletir e também para pesquisar. Ela, por ser professora universitaria, às vezes tem esses insights de escrita acadêmica, cita muitos filosofos, professores, escritores, artistas e poetas que eu desconhecia e tive que googlear para nao me perder. Na hora que ela falou dos argonautas da mitologia grega + Roland Barthes + Sedgwick tudo junto e misturado ao mesmo tempo, fiz uma pausa para me inteirar do assunto e em seguida, retomar a leitura.
A grosso modo, ela narra sua experiência em ser esposa de Harry Dodger, um transgender man (mulher que fez a transiçao para tornar-se masculina, por isso vou utilizar o pronome pessoal "ele").  Também optou por ser mae via inseminaçao artificial e era madastra, ja que seu companheiro tinha um filho do casamento anterior. É uma redefiniçao do termo familia.
Apesar dos insights filosoficos, o texto tem suas partes simples, narrando seu dia-a-dia sendo mae (gravidez, parto, amamentaçao), esposa (vida sexual), madrasta e profissional, que deveria nao ser muito diferente do resto das mulheres do mundo. Porém, o mundo nao esta preparado para isso, é cada coisa desnecessaria que ela tem que passar que olha....
Fala também de corpo, as mudanças fisicas com o passar do tempo, o corpo da mae, seu proprio corpo, o corpo do Harry em transformaçao, o corpo do bebê.
Fala de gênero, sexualidade, homossexualidade. Como é ser lesbica, feminista e feminina ao mesmo tempo.
É um otimo livro para entender que o mundo nao é binario, que entre o branco e preto tem toda uma escala de cinza no meio que deve ser considerada. Nao adianta querer colocar as pessoas em caixinhas como se todas fossem iguais.
O proprio titulo me fez pensar no Argos (barco) em que estamos, para onde estamos indo, por quê estamos indo, quem esta indo junto, onde aportaremos. Às vezes a gente leva nossa vidinha no nosso barquinho e esquecemos que ha outros barcos, com outras pessoas, com outros propositos.

Eis alguns fragmentos (nao traduzo, pois é apenas para meu arquivo pessoal):

How does one get across the fact that the best way to find out how people feel about their gender or their sexuality—or anything else, really—is to listen to what they tell you, and to try to treat them accordingly, without shellacking over their version of reality with yours?
The presumptuousness of it all. On the one hand, the Aristotelian, perhaps evolutionary need to put everything into categories—predator, twilight, edible—on the other, the need to pay homage to the transitive, the flight, the great soup of being in which we actually live. Becoming, Deleuze and Guattari called this flight: becoming-animal, becoming-woman, becoming-molecular. A becoming in which one never becomes, a becoming whose rule is neither evolution nor asymptote but a certain turning, a certain turning inward, turning into my own / turning on in / to my own self / at last / turning out of the / white cage, turning out of the / lady cage / turning at last.

Nuptials are the opposite of a couple. There are no longer binary machines: question-answer, masculine-feminine, man-animal, etc. This could be what a conversation is—simply the outline of a becoming. —Gilles Deleuze/Claire Parnet

Sobre ser madrasta
When you are a stepparent, no matter how wonderful you are, no matter how much love you have to give, no matter how mature or wise or successful or smart or responsible you are, you are structurally vulnerable to being hated or resented, and there is precious little you can do about it, save endure, and commit to planting seeds of sanity and good spirit in the face of whatever shitstorms may come your way. And don’t expect to get any kudos from the culture, either: parents are Hallmark-sacrosanct, but stepparents are interlopers, self-servers, poachers, pollutants, and child molesters. 
Identifiquei-me com isso

I didn’t have a baby then, nor did I have any designs on having one. Nor have I ever been what you might call a baby person (nor an animal person, nor a garden person, not even a house-plant person; even urgings toward “self-care” often irritate or mystify me). But I was enough of a feminist to refuse any knee-jerk quarantining of the feminine or the maternal from the realm of intellectual profundity. 
 E com isso:

Shame-spot: being someone who spoke freely, copiously, and passionately in high school, then arriving in college and realizing I was in danger of becoming one of those people who makes everyone else roll their eyes: there she goes again. It took some time and trouble, but eventually I learned to stop talking, to be (impersonate, really) an observer. This impersonation led me to write an enormous amount in the margins of my notebooks— marginalia I would later mine to make poems.
Sobre ser mae lésbica nos EUA
[Single or lesbian motherhood] can be seen as [one] of the most violent forms taken by the rejection of the symbolic … as well as one of the most fervent divinizations of maternal power—all of which cannot help but trouble an entire legal and moral order without, however, proposing an alternative to it.
Given that one-third of American families are currently headed by single mothers (the census doesn’t even ask about two mothers or any other forms of kinship—if there is anyone in the house called mother and no father, then your household counts as single mother), you’d think the symbolic order would be showing a few more dents by now. 

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Redes de bibliotecas de Québec


Uma das coisas mais estranhas que aconteceu na minha vida foi desfazer dos meus livros antes de sair do Brasil, trouxe apenas uns 10 comigo e deixei alguns na casa dos meus pais, o resto vendi e dei tudo. Como a gente supera tudo na vida, decidi nao comprar mais livros fisicos (ok, so de vez em quando, bem raramente, sem radicalismos rsrs), resolvi ser rata de biblioteca e leitora de e-books, razoes plausiveis:
  • Falta espaço no "apertamento",
  • Nao tenho tempo para limpar estantes, como sou arquivista, sei bem o estrago que o tempo, as condiçoes climaticas, a poeira e a umidade fazem em uma biblioteca sem conservaçao, prejudicando inclusive a nossa saude, 
  • Vivo mudando e quero ter o minimo de coisas para levar na mudança,
  • Raramente leio um livro mais de uma vez, entao pra quê ficar acumulando, nao é? E mesmo se quiser ler de novo, é so levantar a bunda gorda da cadeira e ir buscar na biblioteca.

Se alguém tem curiosidade de saber como funciona aqui, é o seguinte: temos 24 bibliotecas publicas na cidade e podemos pegar gratuitamente até 5 livros por vez, também temos a opçao de emprestar filmes, séries, jogos, cds e dvs por apenas $1,50. Empresta-se também quadros para impressionar as visitas na sua casa.
O bacana é que a gente pode pegar o livro em uma biblioteca e devolver em outra, pois é uma rede interligada. Se nao tem o livro que você quer na biblioteca mais proxima, eles te enviam de outra biblioteca. Se você esta doente ou com a mobilidade reduzida, alguém leva o livro na sua casa, nao tem desculpas para nao ler.
O sistema de emprestimo é automatizado, você pega os livros, vai no terminal de emprestimo, passa sua carteirinha e os livros no leitor optico e vai embora, nao precisa nem de intervençao de funcionarios para fazer a transaçao.
Nao para por ai, se esta nevando, -30°C la fora, nem precisa sair de casa, porque tem a biblioteca digital com e-books, é so fazer o download e depois de 20 dias ele desaparece do seu e-reader/computador/tablet/celular/whatever, a unica desvantagem é que nao tem como renovar o emprestimo do e-book, mas da pra renovar até 5 vezes os livros fisicos pela internet mesmo, nao precisa ir la para isso. Mais mole do que isso so sopa de minhoca, nao é? Por isso que por aqui nao rola muita pirataria, esta tudo à disposiçao na biblioteca e na midiateca.

Agora uma coisa que nao sei lidar: como faz para devolver os livros na biblioteca e voltar para casa sem nenhum? Eu tenho um monte de livros que comprei na Kobo Store para ler, mas sempre trago 5 livros e como preciso ler rapido porque tem prazo de devoluçao, deixo as leituras dos e-books paradas, pois nao tenho prazo com elas.