quinta-feira, 24 de maio de 2012

O Asilo Arkham

clique na imagem para ampliar
"O Asilo Arkham e a Psicopatologia dos vilões de Gotham City", de Francisco B. Assumpção Jr. Professor da Faculdade de Medicina e do Instituto de Psicologia da USP. 204 págs.
O livro foi escrito de maneira leve e simples que amplia o assunto não só para o meio acadêmico, na área de psicologia, mas também aos fãs do Batman de forma que eles entendam essas psicopatologias sem tornar o assunto muito técnico ou específico.

É divido em 10 capítulos. O 1º fala sobre o Asilo Arkham que é mais que um manicômio judiciário, é habitado por personalidades doentias, psicopáticas e deformadas onde são isolados e presos por fugirem da normalidade e que não podem conviver na sociedade. Arkam é um modelo asilar bastante antigo, tem-se uma visão simplista e antiquada do que seria um hospital psiquiátrico real, permanecendo no imaginário popular que o sistema não se modificou muito nos últimos duzentos anos.
No 2º capítulo, mostra o transtorno bipolar do Coringa, são mudanças de humor que alternam entre a euforia ou mania e a depressão, os quadros de mania são, muitas vezes, extremamente exagerados, a pessoa pode tornar-se psicótica, violenta, cometer delitos, achar-se poderoso e intocável. Já na fase de depressão, a pessoa pode até suicidar-se.
(...) "Assim, quando você se dá conta que tua mente viaja sobre um binário angustiante, diretamente do teu passado onde a tua alma grita de maneira insuportável, lembra sempre que a loucura é a saída de emergência". (Coringa)
No 3º capítulo fala do Duas-Caras, um promotor público correto e implacável, mas enlouquece após ter a cara desfigurada por ácido. Esquizofrenia (esquizo=dividida e frenia=mente), com seus sintomas principais sendo caracterizados pelo autismo, como pensamento interiorizado e perda do contato com a realidade. Sua bizarrice e impossibilidade de previsão se expressam exatamente em sua própria consciência do "Eu", cindida em duas partes importantes, uma boa e outra má. A consciência clara e a capacidade intelectual estão usualmente mantidas, embora certos déficits cognitivos possam surgir no curso do tempo.
No 6º capítulo fala do Espantalho, era Psiquiatra e Professor de Psicologia na Universidade de Gotham, especialista em Psicologia do Medo, sofreu bullying na infância, buscando vingança destes abusos, utiliza um gás que provoca medo em quem o inala, matando todos os responsáveis pelo seu sofrimento. Assume então a vida criminosa utilizando seus conhecimentos sobre Psicologia, bem como seus gases inalantes.
Eu assisto a todos os filmes do Batman, sempre sou estranhamente atraída pela história de vida, tanto dele quanto de seus vilões, ele tem transtornos de personalidade, vive mascarado, meio dark, quer fazer justiça com as próprias mãos, vive em uma cidade doente, com gente doente. Seus vilões são inteligentes, tem profissões respeitadas, mas utilizam-nas para o mal, são vítimas do sistema, todos têm algum trauma de infância, conflitos familiares, dificuldade de relacionamentos. Não mencionei todos os personagens, principalmente os femininos que são bem bacanas, são mulheres inteligentes, se fosse comentar, escreveria outro livro em cima desse. Indico para quem gosta de psicologia e para quem é fã desta HQ. Não deixem de ler.

2 comentários:

  1. Interessante a sua opinião. Estou louco atrás desse livro haha, obrigado !

    ResponderExcluir
  2. Meu trabalho de conclusão de curso foi num sentido próximo, mas por um caminho diferente.

    http://www.guiadosquadrinhos.com/monografia/batman-e-a-questao-da-loucura-na-historia-do-cavaleiro-das-trevas-2010/86

    ResponderExcluir